Avançar para o conteúdo principal

N24 seen from my eyes


  Há algum tempo atrás comecei a pensar em desenvolver novos projectos ligados ao meu trabalho de 'freelancer', no desporto motorizado. Muitas coisas passaram pela minha cabeça, mas estava ansioso por começar a colocar alguns em prática. Neste caso, o objectivo seria explicar o trabalho de fotógrafo no desporto motorizado, pois muitas pessoas não sabem o que isto é, de apenas tirar 'uma fotos a uns carros ou motos' que, na verdade, vão muito mais para além disso.

  Em termos de eventos, não existe nada como as 24 horas de Nordschleife, para mostrar a dureza de cobrir uma prova de tamanha dimensão. Às vezes, parecendo fácil, pode ser muito difícil, nas mais de 160 curvas e na quase certa dezena de minutos por volta. Parece fácil… É verdade, as pessoas apenas vêem as viagens, os hotéis e a comida boa. Mas, na verdade, esquecem-se que existe muito trabalho, que vai muito além disso.

  Na grande maioria dos casos, estão muitas noites sem dormir. No meu caso, por exemplo, houve a "participação" de uma grande quantidade de bebida energética, para não adormecer, enquanto trabalhava, após os muitos quilómetros, realizados a pé, com o material fotográfico às costas.


  Neste trabalho, que tanto gosto, não há horas de trabalho. Um dia, para nós fotógrafos, pode ter mais de 40 horas de trabalho. Parece de doidos? Sim, não parece? Mas é assim mesmo. Aqui fica o meu 'storyteller', das 24h de Nordschleife:

  Segunda-feira dia 22 de Maio Deixei a minha família para trás para partir noutra aventura. Muitas das vezes, passamos várias semanas longe da família, amigos etc. De qualquer maneira, são escolhas da vida que cada um faz. Eu escolhi esta! Infelizmente, todos os serviços falharam. Comecei, então, com um dia no aeroporto, à espera de um avião que estava atrasado 10 horas, chegando apenas a terras alemãs quando era meia-noite. Voei até Munique, para me encontrar com um amigo, também fotógrafo, para podermos falar acerca de alguns projectos em comum, que pretendemos desenvolver no futuro. 

  Terça-feira dia 23 de Maio Deixamos Munique em direcção ao Nurburgring. Cerca de 550 km de carro, acabando por chegar por volta das 18:00 horas, onde nos encontramos com uns amigos, para beber uma cerveja, meter a conversa em dia e poder relaxar um pouco antes da verdadeira "prova" que tínhamos pela frente.

  Quarta-feira dia 24 de Maio Aproveito para colocar as últimas horas de sono em dia e recolher a minha acreditação na manhã do mesmo. À tarde, inicio a acção, com o 'Adenauer Racing Day', ou seja, a "parada" na cidade de Adenau. Aqui começa o 'stress' e a oportunidade de podermos captar que as corridas de automóveis são muito mais que apenas carros, às voltas numa pista. Captar o ambiente que se vive é essencial numa corrida como as 24 horas de Nordschleife.

 Feita a parada, é tempo de regressar a casa e, pelo caminho, comprar algumas ajudas para a corrida No meu caso, chocolates e muita bebida energética! Para ser mais preciso, 15 Red Bulls! O dia é finalizado com 6,5 km feitos a pé, com a edição de fotos a acabar por volta das 02:00 da manhã.








  Quinta-feira dia 25 de Maio Acordei às 09:00 horas da manhã, fui em direcção ao 'Media Center'. Mesmo estando longe da família e dos mais chegados, é sempre bom poder rever amigos que conheci pelo mundo, colocando a conversa em dia e, aproveitando para relaxar um pouco antes de começarem os primeiros treinos livres da 24h. Às 15:50 horas, começa a primeira sessão de treinos livres, onde decidi fazer umas fotos em Brunnchen, uma das zonas mais conhecidas da pista. Apesar dos carros estarem em pista, concentrei-me em captar o ambiente que se vive, e acreditem que é uma loucura!






 Sem muito tempo disponível entre sessões, fui ao acampamento de um amigo em Planftzgarden, onde consegui jantar rapidamente e a tempo da captar a 'night
qualifying', que começava às 20:05 horas e durava até as 23:30.
  




 Rapidamente, desloquei-me até Adenauer Forest, local onde tinha como objectivo fazer o 'sunset'. No final, acabei por não conseguir! Faz parte. Por vezes acaba por ser frustrante e, ao mesmo tempo com muito 'stress'. Mas, temos de continuar conseguir "dar a volta", mesmo quando as coisas

teimam em não ser como tínhamos planeado. Não interessam desculpas, mas sim soluções e é isso que faz a diferença! Assim, segui o meu caminho nesta jornada.
  




  Tentei ir ate  Hatzenbach durante a noite mas mesmo assim não fiquei totalmente satisfeito, com o trabalho que estava a fazer.
  
    Regressei no final da sessão tendo chegado ao Media center por volta das 00:00. Tempo de ir editar e enviar as fotos para os clientes, e não, não demora 10 minutos como muitas pessoas pensam… no meu caso apenas deixei o media center por volta das 2:30 da manha tendo apenas conseguido ir dormir às 3:00. Um dia que foi longo e que acabou com 15,5km a pé. Começava aqui a dureza…






  Sexta-feira dia 26 de Maio A sessão começou por volta das 9:30h da manhã. Ou seja, acordar às 6:30h da manhã, para poder preparar a mala e ainda ir ao 'media center', antes de ir para a pista. Neste caso, fui até Wippermann, onde consegui apanhar uma boa luz, começando a fazer as primeiras fotos dos carros em pista durante o dia.





  O intervalo até ao 'TOP30' Qualify, no final da tarde, era grande e foi perfeito para poder conseguir almoçar com alguns amigos, aproveitando para relaxar um pouco. Na 'TOP30' desloquei-me a Plaftzgarden II, com um salto espectacular. Nordschleife é, provavelmente, a única pista onde se pode ver GT3´s a voarem, literalmente!





Um dia que acabou por volta das 2:00 da manha, com 10,5 km feitos…


  Sábado dia 27 de Maio... 'Race day'!. O cansaço já se acumula, as dores de músculos também, e a juntar a tudo isto as horas que me faltavam repor a dormir, que começavam a ser muitas. Decidi não fazer o 'warm up' às 8:15h da manha, indo apenas fazer as corridas do WTCC/ETCC, onde temos os nossos dois portugueses presentes; Fábio Mota (ETCC) e o Tiago Monteiro (WTCC). 



  Voltei ao 'media center', almocei, respirei três vezes e arranquei para fazer a grelha. Era agora! O meu dia já tinha começado há muitas horas atrás, estava cansado, mas agora era o momento de começar a grande corrida e tentar, uma vez mais, provar as minhas capacidades, sob grande cansaço e desgaste.
  




  Escrevi aqui, muitas vezes, acerca do cansaço. Acredito que poderá comprometer a qualidade final do meu trabalho. Mas, ainda assim, enche-me o coração a cada segundo que o faço. É verdade. O dia estava a ser duro, tinha um escaldão enorme pelos 35º ao sol. A juntar a isto, os quase 15 kg que carregados, circuito a fora. A recompensa é divina e consigo capturar um pôr do sol espectacular, que me enche o coração, neste local tão especial , que me dá a energia para continuar, procurando mais e melhor.









  Acabei a noite de sábado no "Pit lane", simplesmente adoro as fotos noturnas no Pit lane, típico de uma corrida de 24h.








Domingo dia 28 de Maio O dia mais longo que Nordschleife me ia trazer. Deixei o 'media center' por volta das 2:00h da manhã e segui em direcção ao “karussel”, para fazer longas exposições. Já acumulava nas pernas mais de 20 km desde sábado de manhã, as temperaturas descem e o corpo começa a ir abaixo.






  Regresso por breves momentos ao local de partida, repensando a estratégia de tão duro turno. Escolho outro ponto de partida e vou em direcção a Aremberg, para poder acompanhar o nascer do sol. É este tipo de fotos que marca uma corrida de 24 horas, e não o podia perder, pensei, jogando pelo seguro.


  







  Quando regressei, tomei um pequeno-almoço. Sim, não tive tempo de jantar e desde o início da corrida que já não comia uma refeição, tentando ajustar-me aos horário de tamanha prova, em tamamho traçado, a não ser um chocolates ou "gomas", que ajudaram no processo! Por muito que o desnorte parecesse gigante, a experiência valia, muito mais!

 Tentei editar algumas fotos mas, simplesmente, adormeci com a mão no teclado. O meu corpo estava cansado, eram já mais de 24h sem dormir. Estava sujo, não tinha muita comida no estômago, cooperando entre os 35º graus de dia, e os 13º da noite. Felizmente acordei passados 30 minutos! Arrumei as coisas, arranjei as forças que me faltavam e arranquei novamente para fotografar as últimas cinco horas de corrida.










  No final, regressei directamente para as boxes, dando-me uma vez mais o especial prazer de assistir a um novo final de tarde de cortar a respiração, celebrando mais um final de corrida espectacular! Neste dia acabei por me deitar por volta das três da manhã, o que faz um total de 45 horas sem dormir. Sim, 45 horas, após uma maratona de km, mais precisamente 34 Km, entre sábado e domingo.
  



  

  Segunda-Feira dia 29 de Maio Regressei a Munique por volta das 7 horas da manhã. Passo apenas umas  horas "pelas brasas" e, mesmo depois de 45 horas sem dormir, aproveitei para visitar a cidade, aproveitando para relaxar um pouco, para depois fui dormir.

  Terça-feira dia 30 de Maio Vôo para casa ao final da tarde, aproveitando para “matar” as saudades da família, sendo por vezes momentos curtos até uma próxima viagem. Apesar de tudo sinto, o maior prazer do mundo é em estar a fazer o trabalho que mais gosto. Passei um bom tempo com os meus amigos, fiz as fotos que queria, fiz novos conhecimentos e aprendi muito, como sempre. Aprender é o mais importante e fazer melhor do que a última vez, é sempre o objectivo, felizmente com resultados muito positivos.


 No final, fiz uma média de 65 km a pé por dia, com 15 kg de material e com muitas horas sem dormir, com a ajuda de 14 Red Bull (Risos). Sei que dei tudo o que tinha para dar, poder mostrar o melhor da prova a todos. Dei tudo o que tinha e o que não tinha mas, se calhar é isso que me tem trazido o que procuro neste trabalho, a recompensa está à vista. É preciso ir além dos limites, não é apenas uma expressão ou mito.

  É um facto, é preciso tentar. Se não resultar, volta-se a tentar!

  Gostava também de dar a entender que o trabalho de fotógrafo, além de não ser fácil, não é seguro. 100% da pista de Nordschleife é perigosa. A qualquer momento, o pior pode acontecer. É preciso ter noção dos perigos que se corre. Infelizmente, existem muitas pessoas que desvalorizam o nosso trabalho.

  É gratificante receber tanto apoio de tanta gente, e este fim-de-semana agradeço principalmente aos meus colegas que tiveram sempre comigo: "Frozenspeed", Miguel Bosch, Jan Patrick , Marcel Langer, Julian Schmidt, Felix Maurer, Domen Hrovatin e Daniel schnichels .

  Um agradecimento também à minha família e Sofia. Sem vocês, nada disto seria possível.

Próxima Aventura: 24 horas de 'Le mans' 2017.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

This is how we do it in Spa24h

Pelo segundo ano estive presente nas 24h de spa, mas esta teve um outro "sabor", pois foi uma aventura partilhada com o meu amigo e também fotografo Telmo Gil.

Saímos terça à noite, dia 25 de Julho em direcção a colónia e sem saber muito bem onde iríamos dormir, uma vez que à hora que chegamos já estava tudo fechado.




Se estas viagens não tivessem um pouco de aventura nunca poderiam marcar da mesma forma, por isso apresento-vos a nossa cama até ás 5 da manha do dia aseguir.





.... Cinco da manha e estava na hora de acordar e alugar a nossa "fera"... Apresento-vos o nosso Fiesta. 


Decidi ir dar a conhecer o grande Nurburgring nordschleife ao meu amigo Telmo uma vez que apenas teríamos de fazer um pequeno desvio e até tínhamos algum tempo disponível.




 Por volta das 11:30 começa-mos então a nossa viagem até Spa onde se realizaria a parada.



 Já no centro da vila paramos para um almoço na pequena vila de spa, enquanto aguardávamos a vinda dos carros.



  Espetacular como sempre po…

Working as official photographer in the biggest race in the world - Le Mans 24h

Após trazer o backstage das 24h de Nordscheleife na vida de um fotógrafo chegou a vez de trazer Le Mans… considerada a prova rainha do desporto motorizado reunindo mais de 120 milhões de pessoas em todo o mundo de olhos postos na TV.
  Desta vez trago-vos ao backstage do que é trabalhar para a organização do WEC (World Endurance Championship)

Sexta feira, 5:00 da manha , tocava o despertador, as malas estavam feitas e desta vez levava o meu pai comigo (uma espécie de levar o pai ao trabalho do filho por uma semana). 1635km para ser preciso, era o que tínhamos pela frente até Le Mans.


  (Foto Telemóvel)



Sábado, o dia que marcava a minha chegada a Le Mans e o dia em que ia conhecer a equipa para a semana.


 Arrumamos as 2 auto caravanas em plena gravilha numa das secções do circuito Bugatti (circuito usado no MotoGP), e começamos a montar aquele que ia ser o nosso hotel na próxima e longa semana.

    (Foto Telemóvel)



Planos da semana feitos, churrascada "on" e nada como uma cervej…